Receba nossas atualizações

  • Facebook | RPGNoticias
  • YouTube | RPGNoticias
  • Instagram | RPGNoticias
  • Twitter | RPGNoticias
  • Pinterest | RPGNoticias

© 2023 por AsHoras. Orgulhosamente criado com Wix.com

Volte a jogar RPG de Mesa


Grande parte do público do RPG Notícias se reúne com seus grupos para jogar RPG. Porém, existe uma parcela de vocês que não consegue jogar. Tem vários motivos para chegar a esse ponto. O que vamos apresentar aqui é um conjunto de dicas para que você volte a jogar RPG.


Reunir a galera ou jogar?


Frequentemente ouvimos que é difícil reunir os amigos para jogar. Isso não é nem exclusivo de adultos. Embora adultos reclamem de não conseguir marcar as sessões, adolescentes reclamam dos amigos que não aparecem nas sessões. Por que isso acontece?


Para entender isso é essencial definir, com antecedência, o que você quer do jogo. RPG é uma excelente oportunidade de reunir os amigos. Porém, se o RPG não está servindo para reunir seus amigos, o problema pode estar na escolha da atividade. Sessões de RPG são longas, normalmente requerem preparação e exigem dedicação até mesmo fora da mesa.


Dessa forma, para muita gente RPG não é tão atrativo assim. Nesses casos, tente convidar seus amigos para fazer outra coisa. Talvez ele só não gostem de RPG tanto quanto você gosta.


Uma nova galera


OK, você encontrou seus amigos. Tomaram uma cerva e colocaram o papo em dia. Só que, embora eles não queiram jogar RPG, você quer. O que fazer? A resposta é muito simples. Encontre outro grupo. De preferência um que esteja tão comprometido quanto você.


Isso não quer dizer que você seja obrigado a ser super dedicado. Tem mestres que preparam um monte de props e handouts, jogadores que encomendam ilustrações de seus personagens. Por outro lado, tem muita gente que só quer se reunir em torno da mesa e lançar uns dados. A experiência vai ser muito mais interessante se todos estiverem na mesma vibe.


Roll20

Onde você vai encontrar essa galera tão parecida contigo? Se você numa cidade grande, a melhor opção são os eventos locais. Cidades como Rio de Janeiro e São Paulo têm eventos toda semana. Um excelente exemplo é o Dungeon Geek, de SP. Além de servirem como uma forma de conhecer novos sistemas, esses eventos são uma forma de conhecer novas pessoas. Você pode ir jogando no evento, conhecer alguns jogadores e daí formar um grupo fixo. Mesmo que não funcione, você está jogando no evento, né?


Grupos online


Por outro lado, se você mora numa cidade menor, provavelmente não tem tantas opções de evento. Nesse caso, a sua melhor opção é se voltar para a internet. Existem grupos no Facebook para RPG em várias cidades. Se ainda não está em nenhum deles, tente procurar. Eles geralmente se chamam “RPG <nome da cidade>”. Lá você pode conhecer pessoas para montar seu novo grupo.


Mesmo os grupos locais faltaram? OK, embora você provavelmente seja o único RPGista da sua região, ainda não é motivo para pânico. Você ainda pode jogar online. Com Roll20 ou Fantasy Grounds, só o que você precisa pra jogar é um grupo. As próprias plataformas têm ferramentas para encontrar outros jogadores, mas aqui você pode se aproveitar mais uma vez das redes sociais. O facebook tem grupos do Roll20, onde você pode encontrar outras pessoas que estão usando a plataforma e querem jogar.


Outra forma legal de encontrar grupos é assistindo streams de canais que fazem stream de partidas de RPG. Pode ser as nossas do RPG Notícias, pode ser as do Regra da Casa, da Ordem do Dado, da Guilda do Macaco, do Tear dos Mundos ou de muitos outros. Nos canais com chat muito movimentado, como Azecos e Vertente Geek, pode ser um pouco mais difícil mas justamente por ter mais gente vale a pena tentar. Interagindo com o chat desses canais você tem grandes chances de fazer amigos que jogam RPG, membros em potencial para o seu grupo.





O tempo é curto


A vida adulta pode parecer um obstáculo intransponível para hobbies que exijam muito tempo, como o RPG. Se você trabalha 44 horas por semana, precisa fazer um freela por fora pra pagar as contas e/ou um mestrado pra tentar uma promoção e ainda tem que cuidar da criançada em casa, como você vai ter tempo pra jogar? Pior, como você vai ter tempo para preparar sessões e narrar?


Mutant: Prep Zero


A primeira coisa que você pode fazer é escolher jogos que exijam menos preparação da sua parte. Sistemas que façam mais do trabalho, para que você possa se sentar e jogar sem se preocupar muito. Nesse sentido, nenhum jogo publicado no Brasil se iguala a Mutant: Ano Zero da Pensamento Coletivo. Além de extremamente divertido, ele fala com todas as letras para que você não faça nenhuma preparação. É tudo resolvido na mesa de jogo, tanto para o mestre quanto para os jogadores. E funciona que é uma maravilha! Saiba mais sobre ele aqui.


Crie tempo


Se não há uma condição de vitória, crie uma. Essa é uma frase do Mestre Arsenal, parafraseada de memória, mas se aplica bem aqui. A gente sempre diz que não tem tempo pras coisas. Mas será que não tem mesmo?


Você não tem tempo pra preparar os encontros da sua mesa de Pathfinder, mas tem pra maratonar Game of Thrones. Não tem tempo pra ler o material de cenário que se narrador preparou, mas tem tempo pra ver o Vasco perdendo semanalmente. Isso é uma questão de prioridades. Não me entenda errado; RPG não precisa ser seu principal hobby. Não tem nada de errado em colocar outras coisas acima do RPG. Mas vai fazer bem pra você admitir que a questão não é exatamente falta de tempo, mas sim preferir usar seu tempo pra outras coisas.

Claro, tem gente com rotinas apertadíssimas que realmente mal tem tempo pra um hobby só. Nesse caso, você pode se beneficiar das dicas do livro Despreparado? Nunca! da Pensamento Coletivo. Ele ensina como gerenciar seu tempo de forma eficiente, trazendo benefícios que podem ser até maiores que conseguir fazer preparação para a sua mesa.


Seja flexível


Essa é uma história verdadeira. Aconteceu com uma amiga de um amigo meu. Essa menina morava numa cidade grande, tinha muitos amigos que jogavam RPG e (pasmem) tinha até tempo livre para jogar de boa. E ela queria jogar, mas nunca conseguia. Por que?

Ela só queria jogar Blue Rose. Apesar de ser um ótimo jogo, Blue Rose é relativamente desconhecido no Brasil e só está disponível em inglês. Mesmo com toda a boa vontade do mundo, esse é um obstáculo difícil de superar para muita gente.


Experimente ser um pouquinho mais flexível e jogar coisas similares ao que você esperava em vez de só jogar aquele jogo específico. Se você adora AD&D mas na sua cidade todo mundo joga D&D 4e, dê uma chance. Se você quer jogar Desmortos mas ninguém na sua cidade nem ouviu falar, tire a poeira do seu Vampiro: a Máscara. Se o seu grupo antigo era um convertido total ao GURPS, tente encarar a iniciativa por cartas do Savage Worlds no próximo evento que visitar.


Pense bastante na resposta dessa pergunta. Você quer jogar o jogo X ou quer jogar RPG? A segunda opção é bem mais fácil que a primeira.


A grana tá curta


Não tá fácil pra ninguém. RPG precisa de livros caros, de dados caros. Mesmo sem luxos como miniaturas, torres de dados e grids, jogar RPG pode ser caro. Quando você tem que escolher quais contas pagar no final do mês, gastar cem contos num livro parece irresponsável.


Será que os livros são tão caros assim?


Primeiro vamos falar da percepção dos livros serem caros. Digamos que você vá ao cinema ver Guerra Infinita, um filmaço de duas horas e meia. É um filme perfeito pra ver com pipoca, mas você não compra porque tá sem grana. Vamos dizer que você pagou meia e foi num cinema barato. Nesse universo da melhor das hipóteses, você gastou 15 reais por duas horas e meia de diversão. 6 reais por hora. E, dizendo que o cinema é caro ou não, você vai ver Vingadores 4.


Agora vamos pegar um livro de RPG caro. Pathfinder, com o livro básico por 180 contos. Vamos considerar que você só conseguiu assim mesmo, pelo preço cheio. Daí vamos considerar que você só jogou uma campanha com ele e nunca mais usou o livro. Sem vender nem nada, só deixou na estante mesmo. Vamos dizer que a sua campanha durou 20 sessões. Vamos dizer que elas foram sessões rápidas, de 3 horas. Com 60 horas de jogo, você gastou 3 reais por hora. Metade do que gastou no cinema. Agora imagina essa comparação com um livro mais barato, como Déloyal. Custando 60 reais, se você jogar dez horas já está na mesma relação custo-benefício do cinema. E tem grupos que jogam isso num dia.


Se a questão for material de suporte, a Dragão Brasil traz um monte de material para vários sistemas todos os mês e custa só 7 reais no nível mais baixo de apoio. Sai mais barato que a passagem de ida e volta pro cinema.


Opções grátis


Às vezes, porém, não importa se o preço é justo ou mesmo barato. Muitas vezes a gente simplesmente não tem dinheiro mesmo. O que fazer? Será que tem como jogar RPG sem dinheiro nenhum?


A verdade é que tem. E eu nem estou falando de pirataria não. Tem muitos jogos excelentes que você pode jogar de graça, legalmente. Aqui mesmo no RPG Notícias a gente tem a tradução do Lasers & Feelings. A versão digital do Manual 3D&T é gratuita. A versão digital de Espadas Afiadas & Feitiços Sinistros é um modelo de pague o quanto quiser, sendo que isso pode ser zero. A galera do Lampião Game Studio tem muitos jogos excelentes disponíveis gratuitamente em sua página. Outros jogos têm versões fastplay que você pode usar enquanto espera a grana voltar, como Savage Worlds e Karyu Densetsu.


Volte a jogar RPG


Finalmente, talvez você não tenha nenhum problema desses. Talvez o que falte seja só um incentivo. Talvez você queira, tenha livros novos na estante, mas falta aquele ímpeto final de ligar para os amigos. A gente pode ajudar com isso também. Volte a jogar RPG!!


#rpgdemesa