Resenha: The Dark Eye


The Dark Eye - Um dos mais famosos RPGs europeus

Criado por Ulrich Kiesow em 1984, The Dark Eye chega pela primeira vez ao Brasil em sua 5ª edição, graças a uma parceria entre a Retropunk Games, a Canivete Filmes e a Dungeon Geek. The Dark Eye é o RPG mais popular da Alemanha (algo mais ou menos equivalente ao Tormenta no Brasil), possuindo além dos livros de RPG, diversos romances e até jogos eletrônicos.


As regras do Jogo

O jogo possui 8 atributos: Coragem, Sagacidade, Intuição, Carisma, Destreza, Agilidade, Constituição e Força. Quanto mais alto o número, mais competente o personagem é. Os testes no jogo são realizados utilizando dados de 20 lados (d20) com o famoso "Roll Under".


Até aqui, não temos nada de novo, mas quando chegamos nas perícias vemos o que esse sistema tem de único. Toda perícia possui 3 atributos associados a ela, então ao realizar um teste de perícia, você deve testar todos os atributos associados à sua perícia. Num primeiro momento, isso pode parecer uma complicação desnecessária, mas aqui entra a granularidade do sistema. Cada perícia possui um número de pontos associados a ela, e você pode utilizá-los para aumentar sua chance de sucesso. Ao final do teste de atributo, caso você ainda possua pontos de perícia não gastos, você pode comprar Níveis de Qualidade no seu sucesso, o que seria equivalente a "críticos" em outros jogos.


Exemplo de uso de Perícia: Geron vai tentar escalar um muro, então utiliza sua perícia Escalada. Para isso, ele precisa testar os atributos associados à sua perícia. Vamos considerar os seguintes valores: Coragem 15, Força 12, Agilidade 10 e Escalada 5. No primeiro teste, Geron tida 10 no D20, passando. No segundo teste, tira 15, 3 acima do necessário para passar. Nesse caso o jogador decide gastar 3 pontos da sua perícia Escalada para comprar a diferença do dado para seu atributo, passando assim no teste. Na terceira rolagem, ele ainda possui 2 pontos de perícia para gastar caso precise completar a rolagem. Não é muito: um valor alto no d20 ainda será uma falha, mas caso consiga tirar um número muito baixo, esses 2 pontos restantes podem ser usados para comprar uma melhoria na qualidade do sucesso.


Durante o combate, os testes são mais simples. Você realiza apenas uma rolagem para cada característica. Rolagem de Ataque (baseada na perícia de arma apropriada) contra o defensor, que pode fazer uma rolagem de Esquiva ou Aparar para evitar o golpe. Caso o ataque acerte, existe a rolagem de dano que é subtraída do valor de proteção do alvo, para enfim atingir seus pontos de vida.


O personagem ele também possui acesso a uma lista de Vantagens e Desvantagens além de habilidades especiais e manobras de combate, que melhoram suas características e aumentam sua personalização.


Heróis lutando contra todo tipo de perigo!

O Universo de Dark Eye


O jogo recebe o nome de Dark Eye devido a um artefato importante no mundo, os Olhos Negros, itens mágicos raros e poderosos que permitem lugares muito distantes e até mesmo ler ecos do passado. Esses itens são parte central nas disputas de poder do cenário.


Por sinal, o mundo do jogo se chama Aventuria, uma enorme região cheia de elementos distintos, como grandes cidades palacianas, florestas exuberantes, desertos escaldantes, mares tempestuosos e até províncias dominadas por demônios e necromantes.


Os povos do cenário também são bastante distintos, tanto em culturas humanas quanto de outras espécies, como elfos, anões, orcs, entre outros. Como o fastplay não possui uma descrição muito forte do cenário, recomendo a resenha do Guilherme Moraes para aqueles que quiserem se aprofundar mais.


O livro está em Financiamento Coletivo pelo Catarse e possui um Fastplay gratuito disponível para download.

1 comentário

Receba nossas atualizações

  • Facebook | RPGNoticias
  • YouTube | RPGNoticias
  • Instagram | RPGNoticias
  • Twitter | RPGNoticias
  • Pinterest | RPGNoticias

© 2023 por AsHoras. Orgulhosamente criado com Wix.com