The Dark Eye

The Dark Eye

Financiamento coletivo para o lançamento em inglês do principal RPG alemão

Um dos jogos mais populares da Europa, The Dark Eye (ou TDE; também conhecido como Das Schwarze Auge, DSA) tem mais de 30 anos de história, tendo sido publicado em 1984. No seu país natal, a Alemanha, Dark Eye é ainda mais popular que Dungeons & Dragons. A quinta edição do jogo saiu ano passado – é essa que será traduzida nesse financiamento coletivo.

drakensang

 

O cenário é mais conhecido aqui nas Américas pelos jogos de videogame, como The Dark Eye: Chains of Satinav, Memoria, DrakensangDrakensang: The River of Time, Drakensang Online e Blackguards (apesar de esse último não ter boa fama). A história se passa no continente de Aventuria. Sim, é um nome esquisito; parece nome de cenário que seu sobrinho de cinco anos daria. Ou então nome de algum lugar em Hora da Aventura, que é quase a mesma coisa. A primeira edição de Dark Eye em inglês inclusive mudava o nome para Arkania, mas já voltaram atrás. Os outros continentes são Myranor, Uthuria e Vaestenland. O nome do planeta onde eles ficam é… Ethra. Sim, um anagrama de Earth (ou Dere, um anagrama de Erde, em alemão).

the dark eye

Um dos maiores focos temáticos do cenário e do sistema é no desenvolvimento dos personagens, como pode ser observado nos jogos point-and-click baseados no jogo. São histórias pessoais, com uma escala mais próxima da fantasia heroica e dos contos de fada que da alta fantasia. Inclusive, uma das reclamações mais constantes da fanbase alemã parece ser contra as tentativas de aproximar TDE da alta fantasia. O tal Dark Eye do título, aliás, é um item mágico raro e poderoso que permite ver lugares distantes e o passado.

chains of satinav

Bom, a gente já definiu que o forte desse jogo não está nos nomes. Está no que, então? Você pode conferir por conta própria nesse quickstart ou pode dar uma olhada em um tutorial (em inglês) do jogo abaixo. Achamos o sistema funcional, mas bastante genérico e sem sal. Algumas habilidades especiais são bizarramente específicas, como uma para vender gado mais caro (!). Como praticamente todo sistema moderno, há um recurso de controle narrativo, os pontos de destino. Como cada vez menos sistemas modernos fazem, ele apresenta desvantagens de personagem; algumas bem bacanas, como Hair-Bound Power, que dá uma vibe de Sansão para seu mago. O grande lance não é o sistema; a graça é o cenário.

 

Previous Dicas para Jogadores: Como jogar com um personagem maligno
Next A volta de Tagmar

About author

Shinken
Shinken 269 posts

Thiago Rosa Shinken é escritor e tradutor freelancer de RPG, já tendo trabalhado várias editoras no Brasil e nos EUA. Ele joga RPG desde os 9 anos, é fã de punk rock, nunca dispensa uma cerveja de trigo e torce pelo Fluminense.

Você pode gostar também de

Noticias 10 Comments

Se preparem para Aventuras Míticas!

Esse artigo foi escrito por Jason Bulmahn, o designer chefe de Pathfinder, e publicado no dia 28 de Agosto. A tradução foi solicitada pelo mestre leandropug, então se preparem, por

Noticias 0 Comments

Expo Geek

Amanhã no Centro de Convenções Sulamérica, no Rio de Janeiro, vai rolar a Expo Geek. A proposta é montar o maior evento de games, e-sports, kpop, cosplay, animes, quadrinhos e cultura

Reviews 1Comments

Ouça no Volume Máximo

Escrito por Luiz Prado , produzido pela UNZA RPG e vendido em pré venda na Red Box Editora ( por apenas 34,90 ) sai mais um jogo nacional que promete

1 Comment

Deixe um recado